Oficina do Livro RBM

A Oficina do Livro Rubens Borba de Moraes, fundada em setembro de 1999, é uma associação civil, de âmbito nacional e sem fins lucrativos.

Atividades da Oficina do Livro:

  1. formar e manter biblioteca, cujo acervo se componha majoritariamente de obras obtidas em Sebos e com alguma característica de representatividade cultural e/ou editorial;
    2. estabelecer parceria com ateliê de encadernação/restauro de livros e manuscritos para recuperação (e eventualmente restauro), tratamento e manutenção do acervo da biblioteca da Oficina do Livro; realização de palestras, aulas práticas e oficinas que promovam o respeito pelas formas da palavra impressa (livros, revistas e jornais antigos, manuscritos, documentos, etc.) e ensinem como recuperá-los e conservá-los;
    3. trabalhar no sentido de angariar livros que ampliem a biblioteca da OFICINA DO LIVRO ou sejam encaminhados a bibliotecas carentes ou venham a formar bibliotecas em escolas, bairros, municípios que as não tenham;
    4. produzir e publicar a Revista Bibliográfica & Cultural que divulgue o acervo da biblioteca da OFICINA, e o nanico, boletim que, a par de registrar a produção literária presente que chega à OFICINA, divulgue suas atividades;
    5. estabelecer relacionamentos com centros de estudos e pessoas qualificadas para, entre outras atividades, explorar e divulgar autores, textos e documentos da biblioteca; tradução de trabalhos da biblioteca em língua estrangeira que mereçam ser reavivados.

Diretoria e sócios fundadores:

Cláudio Giordano (Dir. Pres.)
Plínio Martins Filho (Dir.Vice-Pres.)
Esteban Jaulent Paulí (Dir. Secret.)
Dr. José E. Mindlin (falecido)
José de Souza Pinto Júnior
Patrícia de Almeida Giordano
Sinésio de Siqueira Filho
De janeiro de 2000 até dezembro de 2006 a Oficina do Livro sediou-se em imóvel alugado, sito na Vila Mariana. A partir de dessa data, por falta de recursos, entregou o imóvel, e todo o acervo de sua biblioteca foi doado à Unicamp, que lhe disponibilizou espaço próprio na Biblioteca Central “César Lattes”, inaugurado em dezembro de 2008.

Um ciclo encerrado

Foram sete de estada na outrora casa-ateliê de Samson Flexor (Rua Gaspar Lourenço – Vila Mariana, não mais existente, pois, foi demolida). Ali se acumularam livros, revistas, jornais, documentos, manuscritos, perfazendo um total de mais de trinta mil itens (livros, revistas, jornais, documentos) voltados à recuperação e preservação de nossa memória histórico-cultural. Poucos mas profícuos eventos ali também tiveram lugar, mais pesquisas entrevistas e reportagens.
Em dezembro de 2006 a casa-ateliê esvaziou-se: o apoio financeiro cessou e a Oficina do Livro Rubens Borba de Moraes deixou de ter espaço físico para suas atividades. A Biblioteca Central da Unicamp recebeu a totalidade do acervo, salvo pouco menos de três mil livros didáticos, direcionados para a Faculdade de Educação da USP, cujo Centro de Memória da Educação (CME) vem desenvolvendo criterioso e denodado trabalho de organização de uma Biblioteca de Livros Didáticos.

Para o IEB-USP doou-se a correspondência passiva de Plínio Barreto, acervo de mais de 1300 manuscritos que, graças a projeto suportado pela Fapesp, está inteiramente convertido em imagens digitalizadas e disponibilizadas naquele Instituto aos interessados; a Biblioteca da Unicamp também recebeu coleção de Cd’s com reprodução da totalidade dessa correspondência.
A par da formação do acervo e realização dos eventos e atividades, várias foram as edições levadas a cabo pela Oficina, como os quatro números da RB&C, os livros Etiquetas de Livrarias do Brasil, Quando o Carteiro Chegar, O Sonho de Polifilo e dezena de outros.

O primeiro ciclo se completou; o segundo se desenrola na Unicamp: uma equipe se empenha na higienização do acervo, acomodando-o em espaço próprio nas dependências da Biblioteca Central; a tarefa é longa e lenta e demorará para que se chegue à organização desejada e disponibilização aos consulentes.
Impõe-se o registro formal de agradecimento aos amigos da Oficina, em particular àqueles que de forma direta lhe deram suporte material nos primeiros sete anos: Dr. José Mindlin, Fundação Safra, Cia. Brasileira de Alumínio; e mais particularmente aos que continuam a amparar-nos: Prof. Dr. José Sebastião Witter, Dr. Jorge Nagle, Eng. Paulo Masuti Levy, Sérgio Kobayashi, Dr. Luiz Carlos de Azevedo Ribeiro e Imprensa Oficial (em especial Cecília Scharlach),  que acredita em nossos objetivos e viabiliza nossas publicações.

 

Para mais informações: claudioliber@gmail.com
orientacaolivro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *